sexta-feira, 29 de agosto de 2008

GENEALOGIA DA DEMAGOGIA - Parte VI-continuação

Diante do descrito sobre o nobre intelectual, há de se fazer uma pergunta bem interessante por sinal.Que intelectual é este, que tem no poder sua própria fraqueza moral? Que tipo de poder este que estar acima de sua própria inteligência? (tudo bem, para aqueles que acham o poder algo assustador, destruidor, capaz até mesmo de cegar um nobre, capaz mesmo de manipular qualquer pessoa com qualquer tipo de personalidade que dela se aproximar. O mesmo poder com capacidade para enobrecer o mais miserável, o mais humildes dos seres. O mesmo poder com capacidade para endeusar qualquer ser humano que dele se apodera). A fraqueza moral proveniente de um intelectual é semelhante a de qualquer outra pessoa, com a diferença que nele esta depositada todos os valores morais que se espera de um humano. Que intelectual é este? Que considera um ato demagógico indigno de ser considerado um ato imoral. Posso concluir, perante isto, duas coisas, há existência de dois tipos de intelectual:aquele homem que que usa sua inteligência e capacidade intelectual para antever todos os tipos de comportamento humano, o mesmo homem que se caracteriza por sua sobriedade, bom senso, e total capacidade de se procurar estar sempre ao lado da moral independente de classe social ou qualquer outra coisa. Não existe perfeição humana, mas a capacidade de distinguir uma atitude coerente com uma atitude corrosiva e infeliz, é imprescindível na vida de um intelectual, e se abster disto é tão somente abdicar daquilo que chamamos de comportamento ético proveniente de sua própria posição perante a sociedade. É preciso, antes de tudo, ser leal com sua própria inteligência. Quanto ao outro tipo de intelectual .....falarei disto em breve.


No Brasil a corrupção é mais lembrada, comentada e critica do que os atos demagógicos espalhados por todo o nosso país. A diferença entre ambas é indescritível, porque enquanto a primeiro é localizada, de fácil diagnostico e fácil de se punir, a segunda é abrangente, complexa e de um estrago superior, pois seu uso continuo, tem poder para influenciar o futuro de um país , de uma democracia.