quinta-feira, 31 de julho de 2008

EU NÃO TENHO MORAL

Não se deve acompanhar este blog pensando em quem o escreveu, e sim no que estar escrito. Porque tudo que aqui escrevo não há rigorosamente nada de pessoal, de vingativo. Faço deste instrumento apenas o meu direito de ser imparcial, de ser critico, o direito de não concordar, o direito de ter minha própria opinião, sem que para isto eu tenha de macular a honra de alguém, obviamente se estar pessoa criticada se sentir atingida por algum dos meus artigos, postagem, todos tem em principio direito de se defender, é o que alguns chamam de liberdade de expressão. É provável que serei odiado por muitos: serei talvez respeitado por aqueles que julgam que vivemos em uma democracia e talvez admirado por aqueles que acham que a liberdade de expressão é o principal alicerce desta mesma democracia. Estou citando isto como uma autodefesa antecipada. Ora usarei o termo moral para moralizar, ora para mostrar que nem todos que se acham moralistas são digno de tal. A moral nem sempre é o que parecer ser. Resumindo somente quem tem o dom de menosprezar a moral tem o poder da critica. Portanto não esperem de mim falsas virtudes. E a critica é um direito de todos aqueles que não concordam com algo por mais relevante que seja este algo. Geralmente a opinião pública é indiferente ao certo e ao verdadeiro cabe porem ao bom-senso descobrir o que é de verdadeiro nela.